Manuel Córrego

DR

“Já passaram três anos (o tempo passa, o tempo corre, o tempo voa, o tempo uiva) mas a reunião Festiva do Trigésimo Aniversário do labor foi um dos momentos mais icónicos do jornalismo e da cultura em S. João da Madeira. No amplo espaço de um dos maiores restaurantes desta cidade estiveram presentes largas dezenas de convivas, num ambiente de festa em que se lembraram tempos idos, os presentes e os que tinham partido – mas sempre lembrados no caminho que vai da alma ao coração. Parabéns a todos os colaboradores desta obra magnífica. Abração para o dilecto amigo Dr. Pedro Silva que levou muito a sério o aforismo de Fernando Pessoa – Deus quer, o Homem sonha, a Obra nasce”.

 

Eva Cruz

DR

“Um jornal deve ter, essencialmente, uma função informativa que nos leve a conhecer e interpretar a realidade quotidiana e sobre ela reflectir. O labor teve ao longo destes trinta e três anos esse papel e sempre o cumpriu com objectividade, pluralidade de opiniões e rigor jornalístico. Porém, um jornal não deve abdicar do seu papel cultural e educativo. Em meu entender, o labor tem procurado caminhar nesse sentido, divulgando de forma livre e democrática os diversos acontecimentos culturais, incluindo espectáculos, exposições e apresentações de livros e obras, sobretudo de gente da terra ou a ela ligada. E já que entramos neste histórico mês, não podemos esquecer o seu honroso compromisso com o mundo dos ideais de Abril, sempre presente nas suas páginas. Parabéns ao jornal Labor!”.

 

Flores Santos Leite

DR

“Parabéns ao Labor pelo seu aniversário, parabéns ao profissionalismo jornalístico da terra, parabéns ao Dr. Pedro Silva e à sua equipa. O Labor é um periódico de uma intensidade informativa em todas as áreas notável. Na saúde faz uma abordagem dos mais variados temas onde se ressalta a problemática atual da pandemia. A atenção para com os serviços de apoio à terceira idade e juventude são também notas positivas a que dá a devida relevância. Na área desportiva nada lhe escapa, informando detalhadamente, e até exaustivamente, os mais pequenos pormenores. No aspeto sociocultural está sempre atento às mais atuais manifestações artísticas e culturais, com nota dominante para exposições, espetáculos e entrevistas. Outro aspeto relevante é o seu mecenato, estando interessadíssimo em acompanhar as publicações de alguns artistas, algo que é relevante. O Labor está sempre atento a tudo o que se passa nesta terra e através da sua publicação dá-nos uma grande opção para que a gente o sinta como exemplo informativo. Parabéns ao Dr. Pedro Silva, a todos e ao jornal pelos seus 33 anos de serviços prestados à nossa comunidade”.

 

Victor Costa

DR

“Tive o privilégio de acompanhar o Labor desde o seu início. Razões de amizade fizeram essa proximidade. Por questões profissionais e como Director ao longo de perto de trinta anos, tive a oportunidade de testemunhar a importância do Jornal Labor no arranque e na afirmação do Centro de Arte de São João da Madeira. A presença e a atenção na divulgação das diversas actividades da Instituição são reconhecidamente um testemunho dessa importância. A ligação da Instituição à cidade teve no Jornal Labor um dos pilares da sua afirmação. Não há Instituição que perdure no tempo sem uma forte relação com o meio .Relembro a ênfase que dávamos às questões da Divulgação. O colocar uma pirâmide ou um piano no Centro da Praça Luís Ribeiro era uma forma que na altura entendíamos como importante para atrair a atenção das pessoas e fazer passar a informação. Hoje, temos redes sociais e outros meios digitais, mas o jornal não perdeu a sua importância e o Labor continua a sua acção em defesa das questões culturais, como testemunhamos neste número de Celebração. A importância da imprensa na defesa da Cultura é património a defender e a acarinhar. Essa ligação sadia acompanhou a história do Centro de Arte até hoje, independente de nome da pessoa que dirige a instituição. Sou disso testemunho. Bem haja ao Jornal Labor pela sua acção ao longo dos anos e pelo que pode ajudar a construir no futuro”.

 

Joaquim Magalhães dos Santos

DR

“Parabéns ao Labor! Tiveram a amabilidade de me convidarem a celebrar o 33º aniversário do jornal. É uma atenção que registo e agradeço, pois, este periódico é uma das várias boas recordações que devo à nossa Cidade. Desde 1964 que aqui deitei raízes, com a sorte que o correr dos tempos me leva a felicitar-me por ter assentado arraiais em firma modelar –  a OLIVA –  que, enquanto em mãos portuguesas, foi, a vários títulos, exemplar e motivo de orgulho e progresso individual para quantos tiveram a dita de ser seus colaboradores. Mas também é, para mim, bom motivo de grande satisfação o ter-me tornado cidadão de terra tão laboriosa e progressiva, de gente acolhedora e simpática, onde tive a sorte de encontrar bom ambiente e de criar Amigos. Registei com muito agrado o surgimento do Labor, mais uma voz ativa na defesa dos interesses e do progresso da sua-nossa Cidade. Tenho registado com muito agrado a tão positiva evolução deste nosso Jornal. E com muito gosto considero que os muitos méritos que os Leitores registam se devem à permanente juventude que lhe imprime o seu Diretor, Sr. Dr. Pedro Silva, a quem conheço desde…o começo da sua permanente juventude. Para ele e para todos os seus Colaboradores, que com tanta dedicação e competência concorrem para que o Labor disfrute da tão boa opinião que tem entre os seus Leitores, os meus Parabéns e os votos sinceros de que o Futuro continue a sorrir-lhes. Para bem do Labor, de quem o dirige e de quem nele e com ele colabora, e de quem o lê”.

 

Joaquim Marques Pinto

DR

“Vi nascer, acompanhei o seu desenvolvimento e assisti aos aniversários. Considero que o labor é um legado genuinamente sanjoanense, marcado por um carácter informativo e de opinião. Serve para o estabelecimento de uma memória coletiva assinalável e a sua comunicação e intervenção desempenham um papel importante na vida social e cultural da cidade. A ‘pena’ do seu Diretor e restantes jornalistas habituaram-nos, ao rigor, ao espírito crítico e de missão pedagógica e, sobretudo, como um meio para a circulação de ideias. Os jornais ‘deixaram de explicar e passaram a contar’. Aprofundem as peças jornalísticas, para não serem como os outros meios”.

 

Miguel Vieira

Foto Ugo Camera

“Ao longo dos anos o Jornal Labor tem contribuído para que os residentes de S. João da Madeira e os seus assinantes espalhados pelo Mundo possam estar sempre actualizados sobre os eventos e as notícias da cidade. Chama-se a isso ´serviço público´. E por esse serviço público prestado, gostaria de parabenizar o Jornal Labor, desejando longos e felizes anos de vida. Parabéns a toda a Equipa! Parabéns Labor!”.

 

José António de Araújo Pais Vieira

DR

“Como Provedor da Santa Casa da Misericórdia quero associar-me à família do labor nesta ocasião de alegria e agradecer toda a disponibilidade que este semanário sempre manifestou para divulgar os acontecimentos da nossa instituição. Muitos parabéns pelo extraordinário trajeto de 33 anos! E o desejo que mantenham sempre o espírito com que Pedro Silva e Daniel Neto iniciaram esta caminhada. ´O jornal é propriedade da Cooperativa de Radiodifusão Serra Mar, CRL, e, como tal, independente de partidos políticos, grupos económicos e credos religiosos´”. 

 

José Cardeiro

DR

“Vejo com bons olhos existir, aqui na terra, um órgão de comunicação social com isenção, mas o céu é o limite. É um jornal com artigos interessantes, mas acho que deveria ter uma secção mais vocacionada para a cultura onde, para além dos eventos, falasse também de outros temas importantes. Lembro-me do nascimento do Labor e o seu percurso tem sido positivo. Espero que faça, pelo menos, outros 33 anos”.

 

 

DR

 

Amadeu Batista 

“Acho que sou assinante do Labor desde o início e acompanho regularmente a sua publicação. Penso que tem melhorado ao longo do tempo e hoje julgo que o Labor tem uma visão mais alargada dos assuntos da cidade. É uma leitura imprescindível para quem quiser estar a par daquilo que se passa na cidade”.

 

 

DR

Manuel Ferreira da Rocha

“A imprensa local tem um papel muito importante na informação dos assuntos da cidade e da região e é um canal de divulgação das diversas opiniões que devem ser disponibilizadas aos cidadãos. A sobrevivência de um jornal é uma tarefa difícil e muitas vezes isso pode afetar a sua independência face aos poderes políticos e económicos. O Labor tem sabido ‘navegar’ nestas águas difíceis, acompanhando as várias fases da nossa democracia”.

 

 

DR

Normando Oliveira

“Não desgosto da forma como têm atuado. Francamente não desgosto. É um jornal com qualidade. Não faço ideia de quando me tornei assinante. Mas fi-lo, porque fiz questão de colaborar e ajudar para que o labor crescesse. Situação que quero manter até morrer. Desejo que as coisas se desenvolvam e que eu possa continuar a contribuir para que tal seja possível”.

 

 

DR

 

Artur Lima 

“Acompanho o Labor desde que nasceu. É o jornal da terra que leio todas as semanas. Vejo que tem artigos interessantes e que está a par da situação atual da cidade. Espero que dure muitos mais anos”.

 

 

 

Carlos Tavares Fernandes (Nini)

DR

“Antes de tudo, as minhas primeiras palavras são de parabéns para o aniversariante, mas mais do que isso é congratular-me pelas pessoas que todas as semanas nos dão a ler as principais notícias da nossa terra, e não só, oferecendo-nos um serviço público. Quando em abril de 1988 o jornal labor iniciou a sua atividade com o título de ´Serra Mar´ eram poucos aqueles que acreditavam que estaríamos a comemorar o seu 33º aniversário, hoje, com nome de labor. Palavra feliz e que faz parte da história de sempre da terra. Em primeiro lugar porque S. João da Madeira tinha um jornal com seis décadas de existência, fortemente implantado na cidade e região, e depois porque todas as tentativas de alternativa a ´O Regional´ tinham existência efémera, ´política nova´. ´O Sanjoanense´, ´A Grei Sanjoanense´, ´Abril´, ´Tribuna Sanjoanense´ são exemplo disso mesmo. O jornal labor sobreviveu a esta tendência por força da tenacidade, perseverança, paixão pelo jornalismo e sentido de sacrifício dos seus diretores fundadores, Dr. Pedro Silva e Dr. Daniel Neto. 33 anos depois muita coisa mudou dentro e fora da instituição, mas a chama que impulsionou os seus fundadores mantém-se acesa. Numa altura em que a imprensa escrita passa por momentos difíceis, manter vivo o projeto iniciado há 33 anos não se verifica tarefa fácil. Para mim que tenho a honra de ser leitor/assinante do labor desde a primeira hora julgo que a longevidade do jornal nunca será posta em causa se ele se mantiver fiel aos princípios que nortearam a data da sua fundação e se quem o dirige souber mantê-lo ao abrigo de qualquer dependência partidária. Esse será o caminho que prevejo para o nosso jornal labor para muitos anos de existência ao serviço das pessoas que o leem e se informam da verdade dos factos em concreto. Desejo aqui também apresentar os meus parabéns ao meu amigo Dr. Pedro Silva pela sua abnegação e sacrifício para bem dos sanjoanenses através do jornal labor”.

 

José Pedro Oliveira (Grifagem J. Pedro)

DR

“Muitos parabéns ao jornal labor pelos 33 anos de história. As minhas felicitações estendem-se também a todos quantos fizeram a trajetória deste importante veículo de comunicação regional nestes 33 anos de existência. Nesta data tão especial, expresso em nome da Grifagem J. Pedro, o agradecimento pelos importantes serviços prestados por este jornal de S. João da Madeira que, pautado pela ética e pelo profissionalismo, assumiu a árdua tarefa de informar e ilustrar nas suas páginas o debate público sobre os temas de interesse dos munícipes, sem esquecer o tecido empresarial da região: o calçado, mantendo sempre o equilíbrio necessário ao exercício deste papel social de altíssima responsabilidade. Ao longo da sua trajetória que já ultrapassa as três décadas, o labor consolidou-se como um dos mais importantes e respeitados órgãos de comunicação social da região, com credibilidade alcançada através do trabalho qualificado dos seus profissionais e da visão dos seus fundadores, que conceberam e o conduzem para que atue como um valioso instrumento de utilidade pública, informando a sociedade com absoluta transparência. De ´Serra Mar´, o seu primeiro título, ao labor.pt, que agora chega às bancas (sempre em formato de papel), importa recordar que passou de quinzenário a semanário, de preto e branco às cores e, com as novas tecnologias, já é lido também em formato digital. Parabéns e continuem a inovar”.

 

José e Rosa Cardoso (Casa Orquídea)

DR

“É com muita honra e uma alegria acrescida que a Casa Orquídea felicita o jornal labor pelos 33 anos de existência. Apesar de assinalar a data num momento de transição para toda a sociedade, com a retoma gradual da atividade económica e a incerteza quanto à possibilidade de resistência de novos desafios, vaticinamos um futuro ainda mais risonho. Eu, pessoalmente, confesso que, apesar de ser uma leitora assídua do labor, tenho uma apetência especial pelas crónicas do “Balha-me Deus” assinadas pelo diretor Pedro Silva, a quem aproveito desde já para lhe solicitar que publique mais vezes. Nesta data especial, a Casa Orquídea aproveita ainda para realçar o papel importante do labor na nossa comunidade, a evolução que teve ao longo de mais de três décadas, da sua passagem de quinzenário a semanal, das páginas ainda a preto e branco às cores e dos suplementos especiais em formato de revista. É através de ideias e opiniões públicas que este órgão de comunicação social sanjoanense formula o seu discurso atuando como mensageiro dos munícipes como também criador da mesma e causar efeitos nos seus leitores. A todos os jornalistas, seus fundadores e restantes colaboradores que passaram pelo labor ao longo da sua existência os nossos parabéns”.

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here