Ao fim de 20 anos, “é um sonho tornado realidade. Finalmente alguém nos ouviu”, afirmou a diretora Anabela Brandão ao labor

 

A obra de requalificação da Escola Básica e Secundária Dr. Serafim Leite, iniciada a 16 de março de 2020, deverá ficar concluída até ao fim do ano.

Neste momento, a empreitada está com um “atraso de dois meses”, mas “salvo os problemas da Covid-19, os trabalhos têm decorrido com normalidade” e “em princípio estará pronta até ao fim do ano”, começou por dizer o vice-presidente José Nuno Vieira e completou o presidente Jorge Sequeira depois da visita de acompanhamento dos trabalhos realizada esta terça-feira e para a qual foi convidada a comunicação social.

Além da retirada do amianto existente e da instalação de um elevador no bloco principal, esta intervenção contempla a reabilitação, modernização e reorganização das antigas oficinas, que mantiveram a estrutura original, e a construção de um novo edifício com três pisos cujo objetivo é melhorar as condições de trabalho da comunidade educativa. Também foi efetuada a retirada de amianto do ginásio e resolvido o problema de infiltrações, estando a ser estudada a sua melhoria, segundo o presidente da câmara.

Ao fim de pelo menos 20 anos, a requalificação da Escola Dr. Serafim Leite está a ocorrer. “A diferença é enorme. É um sonho tornado realidade. Estou cá há 20 anos. Sabia que era preciso obras, sempre estive envolvida nos conselhos executivos, sempre lutei pela escola e finalmente alguém nos ouviu”, afirmou a diretora Anabela Brandão ao labor.

Após duas décadas marcadas por “muitas lágrimas, finalmente podemos sorrir”, assumiu a diretora da escola número um, demonstrando satisfação pela negociação e pelo trabalho desenvolvido até “chegar a este edifício que acho ideal para ter as condições que os alunos e os professores precisam e merecem ter”. Só para termos uma noção “já não era possível viver nas oficinas” com salas de 20 metros quadrados, quando o normal é 50, e sem sanitários com condições. Graças a esta intervenção “vamos ter salas com duplicação e, em alguns casos, triplicação do espaço e sanitários”, explicou Anabela Brandão. Enquanto as oficinas vão continuar a acolher os cursos de eletrónica e mecatrónica, o novo edifício deverá acolher os de artes e informática.

DR

Depois de Anabela Brandão, foi a vez de Jorge Sequeira admitir que as oficinas não tinham condições para continuar. “Visitei várias vezes as antigas oficinas, não tinham condições para a prática de atividades letivas” – “os alunos amontoados, o edifício degradado” e “sem condições térmicas, quer no inverno, quer no verão” – e “as aulas eram dadas em condições até penosas”, descreveu o presidente da câmara, considerando esta intervenção como “uma aspiração destes alunos e da cidade com dezenas de anos” pela qual “estamos muito satisfeitos por estar finalmente a ser concretizada”.

A requalificação da Dr. Serafim Leite “vai melhorar a oferta educativa municipal e atrair mais alunos para a escola e para S. João da Madeira, o que é importante para a competitividade e para o futuro da cidade”, considerou Jorge Sequeira.

O presidente da câmara destacou ainda o facto de este ter sido “um processo difícil” em que foi “necessário encontrar o refinanciamento da obra face àquilo que era o projeto do executivo anterior”. Recordamos que no âmbito da reprogramação do Portugal 2020, a câmara municipal conseguiu, no final de julho de 2019, o reforço em cerca de 600 mil euros do financiamento comunitário para esta obra que é comparticipada a 85% por fundos europeus e a verba restante assegurada em partes iguais pelo Estado e pela autarquia sanjoanense. O contrato desta empreitada foi adjudicado à “Construções Fernando Soares Ferreira S.A.”, pelo valor de 2.655.780,00 euros (acrescido de IVA), e tem um prazo de execução de 540 dias.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here