Entretanto, os museus, a Torre da Oliva e o Centro de Arte Oliva já reabriram portas 

 

Depois de mais de três meses praticamente fechada, tendo aberto apenas para a transmissão online de uma conferência do ciclo Pensar Futuro e o recente lançamento do livro do Festival de Teatro de S. João da Madeira, a Casa da Criatividade volta a receber público a 23 de abril.

Nesse dia, às 19h00, a Orquestra Sem Fronteiras apresenta-se pela primeira vez na cidade e no palco da Casa da Criatividade, com um concerto que assinala a estreia nacional e europeia da obra “Letters to Friends”, de Giya Kancheli, interpretada pelo violinista solista André Gaio Pereira.

A entrada é livre, mas sujeita a levantamento prévio de bilhete a partir do próximo dia 12, nos Paços da Cultura ou na Torre da Oliva.

Dirigida pelo maestro Martim Sousa Tavares e com sede em Idanha-a-Nova (Castelo Branco), a Orquestra Sem Fronteiras (OSF) é um projeto que existe para apoiar e fixar o talento jovem no interior do país, combatendo o abandono do ensino da música e premiando o mérito académico. Visa promover os valores de cooperação e integração transfronteiriça, pondo lado a lado músicos portugueses e espanhóis.

Museus da Chapelaria e do Calçado abertos ao fim de semana apenas de manhã

Entretanto, os museus da Chapelaria e do Calçado já reabriram portas, estando a funcionar de terça a sexta-feira das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, e aos sábados e domingos apenas no período da manhã.

O Museu do Calçado tem patente, entre outras exposições, “Silvia Fadó – Arte e Tecnologia”. Silvia Fadó é uma designer de calçado espanhola de personalidade inquieta e criativa que assume uma certa obsessão pela perfeição. As suas obras  podem ser apreciadas em S. João da Madeira até 2 de maio.

Já o Museu da Chapelaria acolhe, também até 2 de maio, “Donna Hartley Millinery. Um toque de elegância”.

A marca Donna Hartley Millinery surgiu em maio de 2015, nascida da profunda amizade entre uma designer de chapéus e uma artista plástica.

À perícia de Donna Hartley pelo desenho e fabrico tradicional de chapéus e toucados, associa-se a exuberância criativa e o olhar artístico de Joanne Jones.

As peças Donna Hartley Millinery combinam, na perfeição, um delicado equilíbrio entre o estilo chic parisience, a extravagância espanhola e o requinte britânico apresentando-se com um estilo único para qualquer ocasião.

À semelhança do que aconteceu no primeiro desconfinamento, ambos os equipamentos culturais continuam a implementar as medidas de proteção e higienização já anteriormente estabelecidas, que terão de ser cumpridas para cuidado e segurança de todos. A saber: o uso obrigatório de máscara; higienização das mãos à entrada; distanciamento físico; respeito pelo circuito de visita definido; interdição de manuseio das peças das exposições; e limitação do número de visitantes nas diferentes salas dos museus. 

Centro de Arte Oliva inaugura exposição “O Efeito do Observador” a 9 de junho

À semelhança dos museus e também da Torre da Oliva, o Centro de Arte Oliva (CAO) também já reabriu ao público esta semana, retomando as exposições “RED LIGHT: Sexualidade e representação”, “Sereno variável” e “Paula Rego: O Grito da Imaginação”.

Dentro de meses, a 9 de junho, é inaugurada a exposição “O Efeito do Observador: À volta da fotografia na coleção Norlinda e José Lima”, com a curadoria de Pablo Berástegui.

Concebida a partir da coleção Norlinda e José Lima, esta mostra que estará patente ao público até 31 de dezembro deste ano parte da fotografia presente no acervo sendo colocada em relação com obras de imagem em movimento, instalação e outras mais disciplinares como a pintura e o desenho. O projeto inspira-se no denominado “O Efeito do Observador” oriundo da física quântica que afirma que a observação ocorre por ação da luz e que como tal se trata de um fenómeno que se altera, teoria que levou Roland Barthes, um dos nomes centrais do pensamento europeu e dos estudos da imagem, a sugerir que o nome mais adequado para a fotografia seria “Imago lucis opera expressa” – a imagem revelada pela ação da luz.

O CAO encontra-se aberto de terça a sexta-feira, das10h00 às 12h30 e 14h00 às 17h30, e aos sábados e domingos, das 10h00 às 12h30.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here