AD Sanjoanense, 1 – RD Águeda, 0

Jogo no Estádio Conde Dias Garcia.

Árbitro: Fábio Silva, auxiliado por João Silva e Luís Fernandes (AF Braga).

AD Sanjoanense: Diogo Almeida, Aldair, Rúben, Godinho, Jota, Barbosa, Danso, Sam (Paulinho, 72’), Nonato (Mário, 63’), Élder Santana, Márcio (Eecion, 90’).

Suplentes: Rui Mota, Zé Leite, George, Jean, Mário, Eecion, Paulinho.

Treinador: Sérgio Machado.

RD Águeda: Rodrigo Moura, Dos Santos, Breno, Marcos Silva (Ruca, 58’), Lenno (Luccas, 70’), Sibu, Iben (Sani, 78’), Caio, Adeilson, Souffo, Jullyan (Chidera, 78’).

Suplentes: Verdade, Sani, Filipe Bastos, Luccas, Nuno Santos, Ruca, Chidera.

Treinador: Tonau.

Ao intervalo: 0-1.

Cartão amarelo para Dos Santos (4’), Márcio (23’), Iben (26’), Breno (43’), Caio (36’), Élder Santana (64’), Paulinho (76’).

Marcador: Mário (75’).

Um golo solitário, alcançado a 15 minutos do fim, acabou por ser fundamental para os objetivos da Sanjoanense, que com a vitória frente à formação de Águeda segurou o quinto lugar na classificação e a última vaga para a fase de acesso à Liga 3.

Obrigados a vencer para não dependerem do resultado dos adversários diretos, os homens de Sérgio Machado recebiam uma equipa já despromovida, mas a formação que viajou de Águeda não veio a S. João da Madeira para cumprir calendário e complicou a vida aos locais, que só aos 75 minutos viram o apuramento ficar mais perto.

Foi a Sanjoanense que entrou melhor e não tardou a assumir o controlo do jogo, domínio que manteria até ao final. No entanto, uma defesa eficaz dos visitantes foi complicando o trabalho dos alvinegros, que com apenas dois minutos chegaram com perigo à baliza do Águeda com um cruzamento de Márcio, à procura de Nonato no interior da área, a acabar desviado pela linha de fundo.

Os locais insistiam na procura do golo, perante um adversário com dificuldades para construir lances de ataque, mas foi preciso esperar para lá da meia hora para a Sanjoanense testar a atenção de Rodrigo Moura. Em posição frontal e com um remate em rotação ao ângulo superior esquerdo, Sam viu o guardião visitante negar-lhe o golo. Pouco depois um passe do australiano isolava Élder Santana, que acaba derrubado à entrada da área por Caio sem que o árbitro nada assinalasse.

Já em cima do intervalo, Sam voltou a criar perigo com um livre que Rodrigo Moura afastou com o punho direito, contribuindo, assim, para que o descanso chegasse com o nulo no marcador.

Na segunda parte o sentido de jogo não sofreu alterações. Os alvinegros mantiveram o controlo, mas pecaram na finalização. Sem alterações no resultado e com o Castro Daire a vencer em casa o Anadia apenas a vitória interessava aos homens de Sérgio Machado. Élder Santana ainda ameaçou, mas foi com as entradas de Paulinho e de Mário, numa altura em que os locais já acusavam algum nervosismo, que a Sanjoanense ganhou mais ascendente. E foi precisamente por estes dois elementos que surgiu o golo dos homens da casa numa jogada em que a intervenção de Élder Santana aos 75 minutos foi fundamental. Paulinho recupera uma bola no meio campo contrário e serve o brasileiro, que cruza para o coração da área onde surge Mário a cabecear para o fundo das redes.

O golo deixou a Sanjoanense em euforia e revigorou os locais, que intensificaram o domínio e cinco minutos depois estiveram perto do segundo com Élder Santana a cabecear para a defesa de Rodrigo Moura e na recarga a atirar rente ao poste.

O marcador não voltaria a sofrer alterações e o triunfo permitiu à Sanjoanense a manutenção da quinta posição e a respetiva presença na fase de acesso à Liga 3, que arranca a 24 de abril.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...