Dínamo Sanjoanense, 3 – CR Candoso, 10

Jogo no Pavilhão das Travessas.

Árbitros: Alexandre Costa e Maurício Couto.

Dínamo Sanjoanense: Rui Capelas, Xavier Moreira, Diogo Tavares. Emídio Baptista, Pedro Sousa.

Suplentes: Miguel Isolino, Bruno Moreira, Careca, Valter Batista, Nando Costa, João Carvalho, Pedro Gomes. Tiago Silva. Rúben Mateus.

Treinador: Luís Almeida.

CR Candoso: Sandro Barradas, Thales Feitosa, Hélder Cristiano, Amílcar Gomes, João Miguel.

Suplentes: João Freitas, Cláudio Carvalho, Paulo Ferreira, César Abreu, Paulinho Roxo, Zézinho, Bruno Fernandes, Francisco Mikus, Fábio Miranda.

Treinador: Henrique Passos.

Ao intervalo: 0-4.

Marcadores: João Miguel (1’, 17’, 37, 40’), Hélder Cristiano (4’, 21’), Fábio Miranda (7’, 26’), Paulinho Roxo (24’), César Abreu (33’), Nando Costa (36’), Careca (38’), Diogo Tavares (39’).

Cartão amarelo para João Carvalho (27’), Zézinho (28’), Rui Capelas (39’).

O Dínamo Sanjoanense sofreu uma pesada derrota no último jogo em casa para a Liga Placard. Se para os locais, que já têm confirmada a descida ao segundo escalão, o resultado nada influenciava, para o Candoso o triunfo era quase obrigatório para que a manutenção continuasse no horizonte da formação que viajou de Guimarães. E foi de olhos postos nos três pontos que os vimaranenses entraram na partida e com pouco tempo de jogo os estragos já eram avultados para o conjunto de Luís Almeida, que aos sete minutos já perdia por 0-3. João Miguel, responsável por quatro dos 10 golos do Candoso, inaugurou o marcador praticamente no arranque da partida ao surgir isolado frente a Rui Capelas e a desviar para o fundo das redes um passe de Amílcar Gomes.

Os locais tentavam responder e no espaço de um minuto Diogo Tavares teve três boas ocasiões para restabelecer a igualdade, mas um Dínamo pouco assertivo na finalização e uma série de erros acabariam por permitir que os visitantes chegassem rapidamente ao 0-3. Se o segundo surgiu por intermédio de Hélder Cristiano, resultado de um desequilíbrio defensivo, o terceiro é consequência de uma perda de bola na área que Fábio Miranda aproveitou para ampliar a vantagem.

Numa tarde pouco produtiva para os homens da casa, o Candoso procurou explorar os desacertos dos locais e aos 17 minutos faz mais um golo, com João Miguel a bisar na partida.

Até ao intervalo o resultado não sofreu mais alterações, muito por culpa de Rui Capelas, que a cinco segundos do descanso negou o quinto a Hélder Cristiano.

No regresso dos balneários os vimaranenses continuaram imparáveis e rapidamente cavaram um fosso ainda maior no marcador. Com pouco mais de um minuto Hélder Cristiano também bisava na partida para, pouco depois, ver Paulinho Roxo levar a contagem aos seis. Fábio Miranda seguiu o exemplo e não tardou a apontar o segundo da sua conta pessoal, colocando o resultado nuns expressivos 0-7.

A contagem era pesada para o Dínamo, que na tentativa de atenuar a diferença aposta no 5×4, mas foi o Candoso que aproveitou a baliza deserta dos locais para chegar ao oitavo com um pontapé de ponta a ponta de César Abreu.

A goleada que se desenhava não abalou os homens de Luís Almeida, que na entrada para os minutos finais tiveram a sua melhor fase. Com três minutos para jogar, Nando Costa, na sequência de um canto, faz o primeiro dos locais, que logo de imediato viram João Miguel apontar o nono dos visitantes e o terceiro da sua conta pessoal. Careca, com um remate cruzado ao segundo poste não tardou a reduzir a diferença com o segundo para a equipa de Luís Almeida, que acabaria por encurtar a diferença com um golo de Diogo Tavares, um prémio merecido já que o ala foi um dos elementos mais inconformados do Dínamo Sanjoanense.

A 18 segundos do fim um póquer de João Miguel fechava a contagem.

No próximo sábado o Dínamo desloca-se ao recinto do Viseu 2001 para a última jornada da primeira fase do campeonato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...