O tema “Covid-19” voltou à reunião de câmara. De acordo com Jorge Sequeira, “não podemos correr o risco de ter um número de casos que coloque restrições à nossa vida coletiva e ao funcionamento da nossa economia”.

O autarca quer que “S. João da Madeira continue a ser considerado um concelho de risco moderado”, daí apelar, uma vez mais, para que “continuem todos os esforços de observância das regras” da Direção-geral da Saúde. “Deixo o apelo para que não relaxemos, não baixemos os braços, não baixemos a guarda até que o processo de vacinação esteja concluído”, exortou.

E a propósito da vacinação, adiantou os últimos dados de que dispunha. Até ao passado dia 25 de abril, no Centro Municipal de Vacinação, instalado na Sala dos Fornos da Oliva Creative Factory, “foram vacinados 4.592 utentes inscritos no Centro de Saúde S. João da Madeira”. “Destes, 1.267 já tomaram as duas doses da vacina”, informou o edil, acrescentando que, para além disso, “vacinámos em critério especial mais 940 pessoas oriundas da nossa comunidade educativa e IPSS’s, 50 bombeiros e 23 elementos da PSP”.

Jorge Sequeira recordou ainda que, “numa primeira fase, o Centro Municipal de Vacinação administrou também vacinas a pessoas de Oliveira de Azeméis e de Vale de Cambra”, tendo sido “já vacinadas 8.799 pessoas”, no total.

Entretanto, o processo retomou ontem, quarta-feira, com a inoculação das pessoas “cuja idade se situa na casa dos 60 anos”.

Alunos do secundário também já foram testados

O responsável político falou igualmente sobre a testagem dos atletas federados do concelho. Nas modalidades desportivas de médio risco (futebol, futsal, hóquei em patins, basquetebol, andebol e voleibol) “foram realizados – até ao momento – 568 testes em instalações desportivas municipais, com a intervenção da Proteção Civil Municipal, funcionários do Desporto e a colaboração do Centro Médico da Praça”. “Todos deram resultado negativo”, informou Jorge Sequeira.

No caso de algumas modalidades, “foram as próprias federações que forneceram os testes. No caso de outras, para além da logística e do pessoal, foi o Município que forneceu também os testes” – 198 testes, ao todo.

“Está previsto que nos próximos dias se realizem, neste segmento, mais 300 testes”, adiantou o líder autárquico.

Quanto às escolas, aqui também “prosseguem os testes”: “na última bateria de testes que foi levada a cabo, fizemos 512 na Oliveira Júnior (só no dia 20 de abril); na Serafim Leite 257 (na última semana) e na João da Silva Correia 389”. Para além destes, foram feitos mais testes a 8 de abril, totalizando “1.295 testes nos últimos tempos ”. E, note-se, que estes também abrangeram estudantes do secundário e não apenas pessoal docente e não docente, como referiu Jorge Sequeira em resposta a Paulo Cavaleiro que lhe tinha perguntado se estavam a testar alunos.

Acerca desta matéria, o vereador da coligação PSD/CDS-PP também disse não entender o Governo quando este impõe “que se faça um teste a um miúdo que ande a jogar futebol” e não aos alunos que têm Educação Física.

O edil apontou para que na atividade física praticada nas escolas é obrigatório o uso de máscara, enquanto nas modalidades desportivas não. “Relativamente às escolas, o Governo delineou uma política de testes. Está a executá-la. E, portanto, não faz sentido que a câmara intervenha onde a DGS, que é a entidade máxima a nível nacional em matéria de saúde, está a delinear a sua própria intervenção. Este é o nosso princípio, a nossa coerência. E penso que estamos a fazer aquilo que é correto”, concluiu.

 

“Câmara não é gestora nem proprietária dos dados” Covid

Segundo Paulo Cavaleiro, a forma como o Município apresenta os dados Covid-19 continua a ser criticada. “Tenho ouvido várias críticas de cidadãos que gostavam de saber, por exemplo, quais são os casos ativos que o concelho tem”, afirmou o vereador da coligação PSD/CDS-PP.

Só que Jorge Sequeira pouco ou nada adiantou de novo ao que tem dito sobre esta matéria. De acordo com o autarca, “a câmara não é gestora nem proprietária dos dados”, sendo certo que “a informação que disponibilizamos à população é a informação que a autoridade de saúde nos fornece”.

O líder do executivo disse saber que “está a ser discutida ao nível superior, nas chefias da autoridade de saúde, a existência de diferentes procedimentos em alguns ACeS”. Mas neste momento a autarquia “apenas presta um serviço aos munícipes, que é informar através dos seus canais de comunicação os dados que nos são fornecidos”.

Relativamente ao número de recuperados, recordou ainda que “há pouco tempo divulgámos o perfil municipal”.

 

Nuno Santos Ferreira

Secretário de Estado da Saúde visitou Centro Municipal de Vacinação

O secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, visitou ontem o Centro Municipal de Vacinação. Esta deslocação do governamental pretendeu assinalar o primeiro dia de vacinação decorrente do processo de auto-agendamento efetuado pelos utentes.

Além do Centro de Vacinação de S. João da Madeira, o programa do Secretário de Estado incluiu uma passagem pelo Centro de Hemodiálise do Centro Hospitalar Universitário São João, no polo de Valongo, e pelo Centro de Vacinação do Cerco (Porto).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...