As saídas ao exterior dos utentes dos equipamentos residenciais de idosos da Santa Casa da Misericórdia (SCM) de S. João da Madeira podem deixar de ter constrangimentos, conforme avança o último comunicado recebido pelo labor. No passado dia 30 de abril, o Instituto da Segurança Social (ISS) apelou para que as instituições, “tendo em conta cada realidade e situação, permitam saídas sociais dos utentes, para que as pessoas possam desfrutar de momentos no exterior com familiares e amigos”.

Segundo a vice-presidente do conselho diretivo daquele organismo, com a vacinação praticamente concluída nas Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI) e a continuação da testagem preventiva aos funcionários, “a expectativa é que utentes, profissionais, dirigentes das instituições, possam finalmente entrar numa fase de esperança e de tranquilidade”.  E, neste quadro, a responsável “defende a liberdade de saídas ao exterior por menos de 24 horas “sempre que possível, (pois são) um aspeto importante para o bem-estar e a saúde mental dos utentes, assim como para o exercício dos seus direitos de cidadania”. Isto, sem serem obrigatórios isolamento profilático e realização de teste à Covid-19 após o regresso às ERPI.

Este apelo será alvo de avaliação por parte da Mesa Administrativa na sua reunião da próxima quarta-feira. Mas ao que o nosso jornal já conseguiu apurar, junto do diretor de serviços, a Misericórdia não está convicta que “o problema está controlado”. Aliás, “por nós, seríamos mais prudentes, cautelosos e metódicos”, disse Vítor Gonçalves.

Utentes do Centro de Atividades Ocupacionais começaram a ser vacinados

Da análise da situação pandémica na SCM referente à semana de 26 de abril a 2 de maio, destacam-se ainda a primeira inoculação de – como adiantou o diretor de serviços – quatro utentes do Centro de Atividades Ocupacionais. E, além disso, a solicitação, pelo Centro Distrital de Aveiro do ISS, da lista dos utentes e profissionais admitidos desde o final dos surtos nos equipamentos residenciais, desde que não tenham historial de Covid nem tenham sido vacinados. Ao todo, “foram identificadas 10 pessoas, que se estima venham ser vacinadas proximamente”, avança a nota informativa.

No que diz respeito aos rastreios à SARS-CoV-2 coordenados pela Segurança Social, foram testados 33 profissionais, por teste molecular (PCR), elevando o número de testes realizadas nas últimas 10 semanas para 246. Todos os testes deram resultado negativo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...