CDU absteve-se 

Face a um resultado positivo de 82.906,06 euros, a Assembleia de Freguesia de S. João da Madeira aprovou por maioria as contas e o relatório de atividades da junta referentes a 2020. Todos os deputados do PS (10) e da coligação PSD/CDS-PP (7) votaram a favor e António Mendes, da CDU – Coligação Democrática Unitária, absteve-se. Não por duvidar da “boa fé” da junta de freguesia nem das “boas contas que normalmente apresenta”, mas por lhe faltar uma folha do documento relativa à despesa, que em seu entender não lhe permitia “votar em consciência a favor”.
Segundo Helena Couto, o saldo positivo apresentado “advém de algumas atividades de maior peso que não foram efetuadas” devido à pandemia. Daí a despesa total ter-se ficado pelos 370.921,14 euros e a sua percentagem de execução pelos 77%.
No que diz respeito ao que foi desenvolvido num ano particularmente difícil, a presidente destacou a doação de 12 monitores de sinais vitais ao Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga, as obras levadas a cabo nas casas de banho e no parque infantil do Parque de Nossa Senhora dos Milagres e também o Encontro Internacional de Ilustração que, desta vez, foi realizado “num modelo mais simples” por causa da Covid-19.

Coligação PSD/CDS-PP preocupada com baixa “execução do apoio a famílias carenciadas”

No Orçamento de 2020, estavam previstos 12.000 euros para apoio a famílias carenciadas e só “foram executados 915 euros, ou seja, 7,67%”, disse Marco Fernandes.
Esta baixa execução preocupa a coligação PSD/CDS-PP. Ainda mais quando para “comunicação e imagem estavam previstos 8.500 euros e foram executados 8.359 euros (98,35%)”, sublinhou o deputado.
Em resposta, Helena Couto começou por esclarecer que “o tipo de atividades que temos desenvolvido é quase sempre em parceria com outras entidades ou de uma forma quase voluntária. Daí conseguirmos fazer tanta coisa com tão pouco dinheiro”. Prosseguiu informando que, com a pandemia, a junta, em articulação com a câmara, passou a apoiar as pessoas confinadas, nomeadamente através da entrega de refeições da cantina social.
“Agora quando nos aparece uma família carenciada (e tem-nos aparecido) o que fazemos é fazer a ligação com as entidades competentes”, afirmou a responsável política, para quem a junta não tem “de fazer um trabalho de concorrência, mas sim complementar ao que é feito na área social pela câmara” e pelas várias instituições sociais existentes em S. João da Madeira.
“Acho que estamos a fazer aquilo que devemos fazer para trabalhar em rede”, referiu Helena Couto, embora sendo de opinião que “esta cidade precisa de trabalhar
mais em rede”.

 

Aprovada 1ª Revisão ao orçamento de 2021 

Também por maioria – com 10 votos a favor do PS, sete votos a favor da coligação PSD/CDS-PP e uma abstenção da CDU – foi aprovada a 1ª revisão ao orçamento de 2021.
Esta revisão teve como objetivo proceder à incorporação no orçamento para 2021 do saldo apurado no exercício do ano transato, no valor de 82.906,06 euros. Isto, depois da junta de freguesia ter detetado “algumas áreas em que precisamos de fazer investimentos que não foram previstos no orçamento aprovado em dezembro do ano passado”, explicou a presidente Helena Couto.
Entre os investimentos estão, por exemplo, a compra de um novo aparelho de ar condicionado e de uma nova máquina fotocopiadora, a substituição de alguns computadores, a manutenção do autocarro pequeno, etc..

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...