Mas “obra de construção civil” fica concluída antes 

 

Em declarações ao labor, à margem da última reunião de câmara onde o assunto veio à baila pela voz da oposição, Jorge Sequeira disse não ter condições, na altura do nosso contacto, para avançar com uma data de conclusão da requalificação da Praça Luís Ribeiro. Apenas referiu que, atendendo ao contexto pandémico que se vive e até mesmo às “vicissitudes decorrentes do clima”, o “grau de execução é satisfatório”.

Também interpelado pelo nosso jornal já depois da sessão, foi o “vice” do executivo municipal, José Nuno Vieira, a apontar o fim da empreitada para o mês de julho e não para maio, como estava inicialmente previsto.

Ontem, quarta-feira, após visita à obra com a fiscalização, o também vereador das Obras Municipais adiantou ao nosso semanário que “até finais de junho estará concluída a obra de construção civil”, mas que depois se seguirão outros “trabalhos” como, por exemplo, a instalação de mobiliário urbano. José Nuno Vieira quer crer que a “nova” Praça estará pronta em julho.

Intervenção na Rua Padre Oliveira não faz parte da “empreitada principal”

Previsões à parte, “em muitas zonas da cidade, já é possível ver o efeito, as melhorias, as benfeitorias”, chamou à atenção o presidente da autarquia ainda no decorrer da reunião, dando como exemplo a Rua da Liberdade, que “não tinha vida” e agora “é uma rua completamente diferente”.

Jorge Sequeira respondia a Paulo Cavaleiro, para quem o prazo de execução da obra “ou terminou, ou está para terminar”. Ainda a propósito do que está em curso no centro cívico, o vereador da coligação PSD/CDS-PP afirmou que “a intervenção na Rua Padre Oliveira podia ter sido noutra altura” que não nesta, de desconfinamento.

Em relação a estes trabalhos em concreto, o edil deixou claro tratar-se de “uma outra empreitada”, que “não faz parte da empreitada principal”, que “está a decorrer dentro do prazo”. “É evidente que as empreitadas causam sempre incómodo, mas – como explicou o autarca socialista – esta é uma empreitada que foi candidatada ao PEDU [Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano] no quadro de uma reprogramação dos fundos comunitários. Ela ocorre, desde já, porque havia esse financiamento sobrante do PEDU, que nós tínhamos de aproveitar, porque o Portugal 2020 está em termo de execução”.

Tabacaria quer que a câmara reponha rampa de acesso

Paulo Cavaleiro fez saber que, na sequência da requalificação do centro cívico, “há um proprietário de uma tabacaria que tinha uma rampa [de acesso] que foi retirada e que está farto de tentar obter uma resposta da câmara”. O presidente Jorge Sequeira disse desconhecer o “caso” e até pediu ao vereador da coligação PSD/CDS-PP para, no final da reunião de câmara, o “identificar”.

Já o vice da autarquia não só tinha conhecimento de que tabacaria se tratava, como também garantiu que “o proprietário já falou comigo diversas vezes”. Daí não estar naquele momento a conseguir “perceber bem essa situação de [a pessoa em causa] não ter resposta ao pedido”.

José Nuno Vieira garantiu que tem “a situação identificada” e que “está a ser analisada a viabilidade” da reposição da rampa. Aliás, “o projetista da obra já se deslocou ao local” no sentido de uma “solução”.

Paulo Cavaleiro voltou à carga, afirmando que “as pessoas querem uma resposta conclusiva”. Até porque “há clientes de mobilidade reduzida que querem registar o Euromilhões e que agora não podem ir”.

Ao que, entretanto, o labor conseguiu apurar, a dita tabacaria situa-se na Rua da Liberdade.

1 COMENTÁRIO

  1. Quanto tempo irá durar esta requalificação? – Já perdi a conta às requalificações que têm sido feitas. -As verbas despendidas para estas ditas requalificações dariam para criar bairros de habitação para todos os que necessitam dela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...