SC S. João de Ver, 2 – AD Sanjoanense, 1

Jogo no Estádio do Sporting Clube S. João de Ver.

Árbitro: Nelson Cunha, auxiliado por Anthony Capeio e João Arantes (AF Viana do Castelo).

SC S. João de Ver: Leo, João Antônio (Nuno Martins, 45’), Emanuel, Pedro Santos, Vieirinha (Yonder, 66’), Elísio, Maurício, Aranha, Rúben Silvestre, Marcelo Santiago (Ibrahima, 86’), Miguel Silva.

Suplentes: Filipe Dinis, Edú Silva, Nuno Martins, Quiñones, Gouveia, Ibrahima, Yonder.

Treinador: Nuno Pedro.

AD Sanjoanense: Diogo Almeida, Aldair, Rúben, Godinho, Jota (Gil Barros, 86’), Barbosa (George, 73’), Danso (Paulinho, 58’), Tarcísio (Mário Correia, 73’), Élder Santana, Márcio (Zé Leite, 58’), Sam.

Suplentes: Rui Mota, Sandro, Gil Barros, George, Paulinho, Zé Leite, Mário Correia.

Treinador: Sérgio Machado.

Ao intervalo: 1-0.

Cartão amarelo para Maurício (14’), Rúben Silvestre (20’), Danso (22’), Aranha (68’). Cartão vermelho para George (90’+4’).

Marcadores: Miguel Silva (42’), Emanuel (54’), Godinho (57’).

Depois do triunfo em casa, frente ao Gondomar, a Sanjoanense “escorregou” na deslocação a S. João de Ver e caiu para a terceira posição, ultrapassada, precisamente, pelo adversário que defrontou.

Sem alterações no onze inicial em relação à jornada anterior, foi uma Sanjoanense organizada e irrequieta que se apresentou frente ao S. João de Ver, procurando, desde logo, assumir o controlo do encontro. Eram os visitantes que criavam mais dificuldades com as principais situações de perigo a surgirem de bola parada, muito por culpa de um Élder Santana intrometido que na frente procurava desorientar os homens da casa. Foi assim que o brasileiro ganhou dois livres perto da grande área, mas os remates de Sam saíram desenquadrados com as redes à guarda de Leo.

À passagem da meia hora o encontro ficava mais dividido, para a poucos minutos do intervalo o S. João de Ver surpreender os homens de Sérgio Machado com o primeiro do encontro. Uma reposição da bola pela linha lateral para o coração da área, que a defesa alvinegra não consegue afastar, chega a Miguel Silva que, junto ao segundo poste, abriu a contagem.

No segundo tempo a Sanjoanense entrou a pressionar e não demorou a chegar com perigo à área contrária, mas foi a equipa da casa que, ainda nos minutos iniciais, dilatou a vantagem num lance de bola parada. Emanuel aproveitou um alívio da defesa alvinegra a um livre de Vieirinha para, no coração da área e livre de marcação, rematar para o fundo das redes defendidas por Diogo Almeida.

O resultado castigava a prestação da Sanjoanense que intensificou o ataque e a resposta dos visitantes não tardou. Godinho, de pé esquerdo e em posição frontal, respondeu a uma assistência de Rúben com um pontapé que aproximou os alvinegros no marcador.

O jogo estava relançado e na luta pelo empate Sérgio Machado mexeu na equipa e a Sanjoanense acentuou o domínio, chegando por várias vezes com perigo à baliza malapeira, mas nem com os oito minutos de compensação o resultado sofreria alterações. Durante o tempo extra, já com os alvinegros reduzidos a 10 elementos após a expulsão de George, Mário teve uma boa ocasião para igualar, mas o remate do avançado saiu à figura de Leo.

No próximo domingo a Sanjoanense recebe o Leça FC, adversário que no jogo da primeira volta venceu os alvinegros por 2-0.

Polémica entre árbitro e jogador já depois do final da partida

Pouco depois de terminar o encontro com o S. João de Ver a Associação Desportiva Sanjoanense emitiu um comunicado onde refere que o árbitro do encontro, Nelson Cunha, terá proferido alguns insultos racistas dirigidos a George Matlou, atleta que foi expulso já em tempo de compensação. Na nota divulgada o clube refere que no final da partida o jogador terá questionado o juiz do encontro sobre motivo que levou à sua expulsão e que a resposta terá sido: “No speak english (não falo inglês), vai lá para dentro macaquinho”.

No comunicado a Associação Desportiva Sanjoanense destaca o seu ecletismo e quase 100 anos de história e sublinha que “não pode, de forma alguma, pactuar com esta situação”, pelo que “apoia incondicionalmente o jogador George Matlou, pugnando pelo apuramento dos factos e penalização exemplar do referido juiz”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...