O último fim de semana foi intenso para a APROJ. Com quatro escalões em competição a coletividade sanjoanense demonstrou um bom nível, ainda que os resultados não tenham sido todos eles positivos.

As iniciadas realizaram uma exibição de grande qualidade vencendo o Leixões por uns expressivos 0-3. Na Nave de Matosinhos, palco onde costuma jogar a Seleção Nacional, as atletas de S. João da Madeira mostraram mais argumentos técnicos e qualidade nas suas ações ofensivas, fruto de um serviço forte aliado a um bom contra-ataque, que lhes permitiu aumentar a vantagem, não dando qualquer hipótese à equipa do Leixões de se aproximar no marcador.

No próximo dia 20 a APROJ desloca-se a Arcozelo para defrontar a formação local, jogo que será decisivo para apurar o líder da série A.

Também as juniores regressaram a casa com uma vitória, por 1-3, frente ao CD Póvoa, fruto de uma exibição aguerrida e consistente. Apesar de desfalcada, a APROJ apresentou um serviço agressivo, bloqueando a construção do jogo das locais, vencendo os dois primeiros sets. No terceiro parcial alguns erros das visitantes permitiram que o CD Póvoa se aproximasse no marcador (1-2), mas as visitantes acabariam por confirmar o triunfo com a vitória do quarto set, o mais equilibrado do jogo. O resultado foi discutido ponto a ponto, nomeadamente na parte final, em que a APROJ perdia por 23-22. Mas o serviço consistente e a sorte permitiram que a turma de S. João da Madeira fechasse o parcial por 25-23.

Já o escalão de minis B entrou em competição no passado dia 10 de junho com a presença no que, em condições normais, seria o último torneio da época, realizando uma boa exibição. A APROJ venceu os três primeiros confrontos, derrotando primeiro o Ala de Gondomar C (40-17), depois o Boavista B (43-39) e por último a AJM B (44-26).

Exaustas, as atletas da turma sanjoanense acabariam por ceder (17-51) diante do Ala de Gondomar B.

Quem não conseguiu regressar a casa com um triunfo foi o escalão de juvenis, que cedeu, por 3-0, frente ao SC Arcozelo, fruto de uma exibição bastante apagada. Com muitos erros de receção e de side out, a APROJ raramente conseguiu ultrapassar as dificuldades criadas pela equipa adversária e quando o fazia falhava na parte ofensiva. Face à diferença no marcador o desnorte imperou e a motivação tomou conta da equipa nos restantes sets.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...