A minha coluna

0
78

CUIDADO COM OS CALL!

Pelo menos pode servir de aviso. Há dias um amigo ligou para uma distribuidora de eletricidade, a ENDESA, a pedir para lhe retirarem da fatura mensal uma verba de dois ou três euros que lhe estava a ser imputada a título de “assistência” para reparação de eletrodomésticos, se necessário fosse. Depois de ter passado pelo habitual calvário das opções (se… marque 1, se… marque 2, …) o simpático operador brasileiro (aqui o que importa é o sotaque…) deu-lhe a entender que percebeu o que se pretendia e o assunto terá ficado resolvido. E com a conversa gravada como agora é habitual nestas “calls” para os “centers”.  Dias depois o meu amigo recebe um mail da ENDESA a confirmar o cancelamento do contrato a que a fatura alterada correspondia. A empresa decidira, portanto, não só retirar os tais três euros, mas aproveitou para cancelar o contrato. O nosso amigo volta a passar pelo crivo do marque 1, marque 2, … e chega novamente à fala com outro operador, por sinal também brasileiro, tendo em conta o sotaque. Explicou a preocupação com a notícia de que o contrato estava cancelado não só porque não o tinha cancelado, mas porque precisava da eletricidade. Do lado de lá confirmavam o cancelamento e que o mesmo tinha sido feito a pedido do cliente. De nada valeu a argumentação contrária. “Era só o item da assistência aos eletrodomésticos…”“Então se não foi o senhor foi a outra empresa que o senhor contratou!”“Mas qual outra empresa? Não contratei ninguém… só pedi para não me faturarem os…”“Desculpe! Aqui no sistema diz que o contrato foi cancelado. E se não foi o senhor o melhor é ligar para a outra empresa a quem…!”. Já em situação de quase-desespero o nosso amigo resolveu dar razão ao operador porque percebeu que não tinha outro remédio. Ainda tentou dizer-lhe que “…mas os senhores têm as minhas conversas gravadas e podem confirmar que…” A resposta complicou ainda mais a história porque “…sim. Mas o senhor vai ter de pedir ao serviço … para lhe darem a gravação… tem de ligar o …”. “E agora?” – pergunta o cristão do meu amigo. “O senhor quer fazer um novo contrato?”“Eu queria reativar o que tinha…”“Pois. Mas não pode porque o senhor cancelou-o” – “Eu já disse que não cancelei nada…”. “Mas é o que está no sistema. Se não foi o senhor foi…”“ALTO E PÁRA O BAILE!” – Foi a forma de passar adiante. “Então quero fazer um novo contrato!” A resposta foi simples. “Pois bem. Vou então vou passar a um colega dos contratos para o senhor fazer um novo contrato” …

Balha-me Deus!

UM VOLANTE LÁ PARA TRÁS S.F.F

O ministro Cabrita, além do jeito “bamboleante” de andar, tem mesmo azar. Nos últimos tempos tudo lhe acontece. E a oposição, como lhe compete, aproveita para malhar no cristão. A mais recente foi o lamentável caso do atropelamento. O ministro não ia a conduzir o automóvel. Mas ia lá dentro. Portanto, para a oposição e designadamente para aquele moço do CDS que já deve ter tirado a carta, a responsabilidade é do ministro. Eu acho que, nestes casos, o condutor deveria ser ouvido, porque costuma ser quem conduz o automóvel. O condutor. Mas neste caso a culpa é de um dos passageiros…  É estranho. Claro que, sendo um político e ainda por cima na mó de baixo, o mais fácil é malhar… Mas fica um bocado mal a quem o faz. Mesmo em aprendizes de políticos há atitudes que são mesmo repugnantes. Esta é uma delas. Há dias foi atropelada mortalmente, em Lisboa, uma cidadã grávida que circulava numa bicicleta. E ainda não ouvi qualquer nota por parte da rapaziada do CDS e, já agora, do Rui Rio. Nem um lamento…

Balha-me Deus!

AI VAMOS, VAMOS…

Esta semana o meu gato mal comunicou comigo. E deixou de ver os jogos do europeu. Não sei o que lhe deu, mas estou convencido que está triste por não termos ganho à Bélgica. Algo me diz que é esse o motivo. Agora vou ter de esperar até ao mundial do Qatar para o voltar a ver interessado no futebol. Se ele soubesse que o Fernando Santos já tinha dito que íamos ser campeões do Mundo podia ser que ficasse mais animado. Mas nessa altura estava lá fora, de costas, a olhar para a parede do muro, certamente a lamentar-se ou, quem sabe, a chorar. Por falar nisso: Os gatos choram?

Balha-me Deus!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...