“Chicão” assegurou ao candidato que pode contar com ele durante a campanha para “provar” que é “a pessoa certa para liderar os destinos de S. João da Madeira”

 

As Jornadas Parlamentares do CDS-PP decorreram nos dias 12 e 13 de julho na cidade.

Dos momentos programados ao longo dos dois dias, o labor esteve presente naquele em que foram abordados “Os desafios da oposição” pelo eurodeputado Nuno Melo e no encerramento dos trabalhos que contou com as intervenções de Telmo Correia, líder do Grupo Parlamentar do CDS-PP, e o presidente do partido Francisco Rodrigues dos Santos, também conhecido como “Chicão”.

O eurodeputado Nuno Melo atacou sem dó nem piedade a atividade do Governo socialista e deixou muitos recados à atual direção do CDS-PP, mas sem mencionar nomes, demonstrando estar disponível para disputar a liderança de um partido que se encontra numa profunda crise existencial agravada pelas divisões internas que acabam por ter consequências ao nível externo junto do seu eleitorado. “Só vos peço que não desistam, que acreditem e que lutem” pelo CDS-PP para que este “não seja um partido irrelevante”, apelou o eurodeputado, reforçando que sempre que for preciso lutar pelo seu partido estará presente.

DF

Já a João Almeida, deputado da nação eleito pelo distrito de Aveiro que se candidata pela coligação PSD/CDS-PP à Câmara Municipal de S. João da Madeira, e que perdeu as eleições da presidência do CDS-PP para “Chicão”, só deixou elogios. “O João Almeida é um extraordinário candidato para S. João da Madeira. É assim interpretado pelas pessoas do CDS, bem como pelo PSD”, afirmou Nuno Melo.

“As jornadas têm um bocadinho por intenção aprofundar, refletir e melhorar a ação do CDS”, disse Telmo Correia, considerando que esse objetivo foi “cumprido”. Apesar do líder do grupo parlamentar centrista assegurar que “não há nada na manga para fazer as jornadas em S. João da Madeira”, não deixa de ser uma coincidência, que soa a estratégia, tal acontecer pela primeira vez em ano de eleições autárquicas onde igualmente pela primeira vez um candidato centrista assume o protagonismo da candidatura da coligação PSD/CDS-PP. “Uma candidatura que espero que seja vencedora em S. João da Madeira”, realçou Telmo Correia no fim do seu discurso que tocou vários temas da política nacional.

Chegada a sua vez, Francisco Rodrigues dos Santos ignorou as críticas tecidas no dia anterior pelo eurodeputado Nuno Melo, teceu elogios ao grupo parlamentar e definiu como foco “colocar o CDS na liderança da oposição ao PS”. No seu entender, João Almeida é “a pessoa indicada para liderar uma vitória do CDS em S. João da Madeira”, assegurando poder contar com ele durante a campanha para “provar” que é “a pessoa certa para liderar os destinos de S. João da Madeira”. Embora o CDS tenha perdido expressão política nos últimos atos eleitorais, Francisco Rodrigues dos Santos acredita que o partido “vai crescer” e “vai ter mais autarcas eleitos este ano do que em 2017”.

João Almeida está “muito empenhado” em “dar a ideia da centralidade que S. João da Madeira pode ter no futuro”

As Jornadas Parlamentares do CDS-PP terminaram com um “balanço positivo” quer “pela expressão que a sua realização deu à cidade”, quer “pela importância de termos grande parte do foco político durante estes dois dias aqui em S. João da Madeira”, declarou João Almeida à margem do encerramento. “Tenho dito que a cidade deve ter esta capacidade de se tornar central em todos os aspetos e todas as áreas”, realçou o candidato da coligação PSD/CDS-PP, cujo “empenho” foi fundamental para que as Jornadas Parlamentares centristas fossem feitas na cidade sanjoanense.

“S. João da Madeira já está no mapa, mas é preciso afirmar isso. Tenho ideia que nunca nenhum partido organizou as jornadas cá”, assumiu João Almeida aos jornalistas, demonstrando estar “muito empenhado” em “dar a ideia da centralidade que S. João da Madeira pode ter no futuro”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...