No seguimento da crónica de Rui Guerra “A AEJ e o Xadrez” no jornal Labor de 01/07/2021, vem a Direção do Clube Académico Téssera, repor a verdade, com o seguinte direito de resposta, ao abrigo da Lei de Imprensa (Lei n.º 2/99 de 13 de janeiro).

Os pontos abaixo invocados encontram-se devidamente documentados.

– Alzira Silva, foi a primeira internacional da AEJ, alguns dias após ter ingressado no clube. Todo esse sucesso se deveu à atleta e ao anterior clube.

– Rui Guerra falta à verdade, quando diz que Albino Silva, abandonou a AEJ face ao resultado das eleições em outubro de 2018. Albino Silva, treinadores e todos os atletas, partiram para um novo projeto, em busca de um ambiente mais respirável e promissor, ainda antes de qualquer resultado eleitoral.

– Rui Guerra falta à verdade, quando diz “jamais a AEJ permitiria que São João da Madeira não tivesse Xadrez”, quando foi ele, enquanto Presidente da Mesa da Assembleia Geral, da AEJ e da Associação de Xadrez de Aveiro (contrariando os Estatutos da AXA no artigo 11º – Incompatibilidades) que colocou em convocatória de 01/10/2019 da Assembleia Geral da AXA, “Deliberar sobre a perda de qualidade de associado da Associação Estamos Juntos”. Com esta deliberação só passou a existir Xadrez Federado em São João da Madeira no atual Clube Académico Téssera.

– Rui Guerra fala em títulos nacionais do Xadrez, mas omite deliberadamente, de afirmar que todos os onze títulos nacionais foram obtidos nos mandatos da Direção que tanto critica e nenhum durante os mandatos de todos os outros presidentes.

– Rui Guerra falta à verdade, quando fala de uma dívida à Junta de Freguesia, quando essa questão estava em contencioso no Tribunal Administrativo e Fiscal de Aveiro, nunca tendo havido qualquer sentença do Tribunal que reconhecesse essa dívida.

– Rui Guerra falta à verdade, quando fala em “panorama catastrófico da situação financeira”; quando aceitou fazer parte de lista eleitoral, com elemento da direção, que se recusou a depositar na conta bancária do clube vários milhares de euros. Mesmo assim, os antigos dirigentes saíram do clube deixando este com uma situação financeira bastante positiva, sem passivo.

– Rui Guerra pouco sabe, quando diz que são os campos de férias a principal atividade de recrutamento de atletas para o Xadrez, é não conhecer quem eram os atletas de Xadrez da AEJ. Por falar em campos de férias, estes não são organizados na AEJ supostamente por causa da pandemia, mas felizmente para São João da Madeira, que outros clubes não se desculpam com a covid-19 e levam a efeito tão meritória atividade para as crianças.

Em alternativa a crónicas com tanta falta de verdade, lançamos o repto a que ajude o seu atual clube a reativar a secção de Xadrez Federado e Campo de Férias. Se precisar de ajuda sabe onde nos encontrar.

A Direção do Clube Académico Téssera

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...