Na apresentação das linhas mestras da candidatura que lidera, Jorge Sequeira quis “tranquilizar o PSD”

Foi perante um auditório cheio, obviamente dentro dos limites de lotação devido à Covid-19, que Jorge Sequeira e os restantes cabeças de lista da candidatura do Partido Socialista (PS) às autárquicas apresentaram as principais propostas para o próximo mandato.
Do lado do público houve quem se destacasse por ser “uma referência da nossa cidade”, como disse o número um à câmara. Amadeu Cruz esteve presente e Jorge Sequeira fez questão de salientar a presença do antigo deputado socialista à Assembleia da República e também ex-presidente da Assembleia Municipal e da Junta de Freguesia de S. João da Madeira.

“PARECE QUE A MINHA SIMPATIA SE TORNOU NO PRINCIPAL TEMA POLÍTICO DESTA CAMPANHA ELEITORAL”

Na passada segunda-feira, Jorge Sequeira prestou contas do trabalho levado a cabo pela sua equipa nos últimos quatro anos, à semelhança do que já tinha feito na recente entrevista ao labor e também nas duas sessões temáticas – uma sobre o Ambiente e a outra sobre Cultura – promovidas pela candidatura, como também apelou ao voto no PS.
Como defendeu, “não podemos pôr em causa “aquilo que conquistámos com muito esforço e sacrifício”, daí o apelo “a todos os sanjoanenses para que se mobilizem para que a cidade continue a trilhar o caminho certo”. Minutos antes, Rodolfo Andrade, que se candidata à liderança da junta, já havia exortado nesse sentido.
Voltando-se precisamente para o futuro, Jorge Sequeira deu a conhecer as 15 linhas mestras do programa eleitoral do PS. Mas não sem antes “dar uma alfinetada” na “oposição”, em particular no PSD.
“Parece que a minha simpatia – permitam-me este momento de autoelogio – se tornou no principal tema político desta campanha eleitoral. O PSD trouxe até animadores de fora da cidade que reiteradamente se referiram a esse termo dizendo ‘o presidente é um tipo muito simpático, mas isso não basta’”, atirou o socialista, agradecendo o “elogio” e, de seguida, também querendo “tranquilizar o PSD e todos os sanjoanenses”.
“Prometo que nos próximos quatro anos não me tornarei numa pessoa antipática”. Que é possível ser rigoroso, exercer a autoridade, exercer a governação, executar e decidir com humildade, sem arrogância e sem prepotência”, garantiu Jorge Sequeira, para quem “os ataques que [alguns ‘representantes do PSD’] fazem sobre a cadeira de dentista são os melhores que me podem fazer”.

 

Obrigado pelo seu interesse no trabalho dos nossos profissionais. Poderá ter acesso à versão integral deste artigo na edição impressa ou no formato digital. Assine o labor aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...