CS Marítimo, 4 – Dínamo Sanjoanense, 4

Jogo no Pavilhão do CS Marítimo.

Árbitros: Filipe Silva e Dany Garcez.

CS Marítimo: Henrique Jesus, Nicolas Tomé, Luís Mouta, Josué, Fábio Semedo.

Suplentes: Vítor Abreu, Moreira, Marco Gomes, Santiago Gonçalves, Fredy, Paulo Babau, Kayque dos Santos.

Treinador: Bruno Salgado.

Dínamo Sanjoanense: Babas, Xavier Moreira. Nando Costa, Zé Paulo, Felipe Simas.

Suplentes: Rui Capelas, Bruno Moreira, Valter Batista, Chico Leitão, João Carvalho, Pedro Gomes, Tiago Silva, Pedro Sousa.

Treinador: André Crud.

Ao intervalo: 0-3.

Cartão amarelo para Fábio Semedo (13’), Nando Costa (31’), Zé Paulo (34’), Paulo Babau (34’), Kayque dos Santos (39’), Babas (39’).

Marcadores: Xavier Moreira (13’, 15’), Zé Paulo (16’), Josué (25’, 30’), João Carvalho (29’), Kayque dos Santos (33’), Luís Mouta (37’).

O Dínamo Sanjoanense regressou da Madeira exatamente como quando partiu, com um ponto de atraso relativamente ao Marítimo fruto do empate a quatro bolas alcançado no último fim de semana frente aos insulares. Contudo, os homens de André Crud até podiam ter somado mais um triunfo, já que lideraram o marcador até aos quatro golos, mas acabaram por permitir a recuperação dos verde rubros nos últimos 10 minutos da partida.

A jogar em casa foi a equipa madeirense que procurou assumir as despesas do jogo. Luís Mouta tentou dar o exemplo com um remate que saiu ao lado, mas foi Fábio Semedo que criou a primeira situação de perigo com um pontapé ao poste depois de deixar Babas batido no chão. Do lado contrário a situação repetia-se com Xavier Moreira, numa jogada ensaiada, a enviar a bola à trave. Se na primeira tentativa o homem do Dínamo não foi feliz, na segunda não falhou. Num lance de bola parada, já depois de Paulo Babau ter desperdiçado a baliza desprotegida dos visitantes para marcar, Xavier Moreira, na cobrança de uma falta por Nando Costa, atirou para o fundo das redes. O fixo não arrefeceu o pé e à passagem do quarto de hora ampliou a vantagem de livre direto, resultado da sexta falta dos locais. Embalados pelos golos, os homens que viajaram de S. João da Madeira não demoraram a chegar ao terceiro com Zé Paulo, em posição frontal, a finalizar uma assistência de João Carvalho.

O resultado manteve-se inalterado até ao intervalo, mas perto do final do primeiro tempo um toque de calcanhar de Kayque dos Santos podia ter feito estragos não fosse a defesa atenta de Babas.

Para a segunda parte o Marítimo regressou dos balneários com vontade de anular a desvantagem e foi através do guardião local que surgiu a primeira iniciativa, com um forte remate que parou nas mãos de Rui Capelas.

Com quatro minutos decorridos Josué deu início à recuperação maritimista (1-3), mas, antes de chegar à igualdade, ainda viu o Dínamo chegar ao quarto. Bruno Salgado apostou cedo no 5×4, com Bruno Moreira a entrar como guarda redes avançado, mas foram os visitantes que tiraram proveito da decisão. João Carvalho intercetou um passe e aproveitou a baliza deserta para, do outro lado, apontar o quarto do Dínamo.

O Marítimo não desistia e a resposta não tardou. Depois de Nicolas Tomé enviar mais uma bola à trave Josué Oliveira bisou na partida. Os homens de André Crud ainda estiveram perto do quinto, mas foram os verde rubros que chegaram ao golo na conversão de uma grande penalidade cobrada com êxito por Kayque dos Santos. Com a margem mínima no marcador o Marítimo acreditava na igualdade e foi dos pés do capitão que surgiu o empate. A três minutos do fim, numa investida pela ala direita, Luís Mouta rematou rasteiro e viu a bola passar pelo meio das pernas de Babas.

No próximo fim de semana o campeonato sofre uma paragem para a realização da primeira eliminatória da Taça de Portugal, regressando a 20 de novembro com a deslocação do Dínamo ao recinto do Saavedra Guedes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...