Saavedra Guedes, 1 – Dínamo Sanjoanense, 2

Jogo no Pavilhão Irmãos Farinhas, em Pardilhó.

Árbitros: Hugo Geraldes e Miguel Maravilha.

Saavedra Guedes: Flávio Tavares, Miguel Costa, Kanigia, Rúben Pinho, João Couto.

Suplentes: Pedro Rodrigues, Micael Silva, João Pedro Reis, Pedro Tomásio, Tiago Dias, Ricardo Sousa, Lucas Ferreira.

Treinador: Nélson Costa.

Dínamo Sanjoanense: Babas, Xavier Moreira, Nando Costa, Tiago Silva, Felipe Simas.

Suplentes: Bruno Moreira, Valter Batista, Chico Leitão, João Carvalho, Zé Paulo, Pedro Sousa.

Treinador: André Crud.

Ao intervalo: 0-2.

Cartão amarelo para Lucas Ferreira (7’), Tiago Silva (14’), Valter Batista (22’), Nando costa (23’), Micael Silva (34’), Zé Paulo (39’). Cartão vermelho para Miguel Costa (12’), Ricardo Sousa (36’).

Marcadores: Felipe Simas (12’ gp), Tiago Silva (16’), João Pedro Reis (28’).

Depois do empate (4-4) com o Marítimo, o Dínamo Sanjoanense regressou aos triunfos em Pardilhó, mas o resultado e a história do jogo acabaram por cair para segundo plano uma vez que o protagonista foi Pedro Sousa, que viu um ato de enorme fair-play recompensado com o cartão branco (ler caixa).

Mas como todos os encontros têm uma cronologia, este não foi diferente e começou com os homens de André Crud à procura de mais três pontos em casa do último classificado. O Saavedra Guedes até entrou com vontade de discutir o resultado e o nulo foi-se mantendo até aos 12 minutos, altura em que Felipe Simas, de grande penalidade, abriu o ativo após um cartão vermelho mostrado a Miguel Costa, que deixou a equipa da casa condicionada.

Os locais não conseguiram reagir à desvantagem e não tardaram a sofrer o segundo. Tiago Silva avançou pela ala esquerda e já no meio campo contrário tirou Pedro Tomásio da frente e perto da linha de baliza rematou cruzado ao segundo poste para o fundo das redes, resultado com que o marcador chegou ao intervalo.

Na segunda parte o sentido de jogo não sofreu grandes alterações. Pedro Sousa teve uma ocasião soberana para ampliar a vantagem, mas o pivot optou por colocar a bola fora das quatro linhas quando se apercebeu do guarda-redes adversário estendido no chão, gesto que lhe valeu um cartão branco, que premeia o fair-play no desporto.

A decisão podia ter dado mais tranquilidade ao Dínamo, que pouco depois viu o Saavedra Guedes chegar ao golo por intermédio de João Pedro Reis na sequência de um pontapé de canto, mas os homens de André Crud souberam gerir a vantagem até ao fim.

A primeira fase encerra no próximo sábado com o Dínamo Sanjoanense a receber, às 16h00, no Pavilhão das Travessas, o Arsenal Maia.

Pedro Sousa viu o guarda-redes no chão, abdicou do golo e viu o cartão branco

Pedro Sousa é, por esta altura, bem conhecido da imprensa nacional, que destacou o gesto de fair-play do pivot do Dínamo Sanjoanense no jogo de sábado em Pardilhó, frente ao Saavedra Guedes.

Na segunda parte do encontro, numa altura em que os homens de S. João da Madeira venciam por 2-0, o guarda-redes adversário, Flávio Tavares, ficou estendido no chão, lesionado, após tropeçar quanto tentava iniciar um lance de contra-ataque. A bola sobrou para Pedro Sousa, que ainda avançou em direção à baliza, mas ao aperceber-se da situação optou por atirar a bola pela linha lateral quando tinha as redes desprotegidas e podia facilmente chegar ao terceiro e dar mais tranquilidade à sua equipa. O gesto do pivot não passou despercebido e o mesmo foi surpreendido quando foi abordado pelo árbitro do encontro, que reconheceu a atitude de fair-play de Pedro Sousa mostrando-lhe o cartão branco, que premeia comportamentos eticamente relevantes no desporto.

André Crud, treinador do Dínamo Sanjoanense

“Não olhámos para a classificação como prova de qualidade”

Apesar da última posição na tabela classificativa, não foi um jogo fácil para o Dínamo Sanjoanense, que venceu pela margem mínima. André Crud reconhece isso mesmo e relembrou que ao longo da última semana alertou “os jogadores de que seria um jogo complicado”, sublinhando que a mudança de treinador “traz sempre um ânimo acrescido aos atletas do plantel”, na tentativa de “mostrarem que têm valor para jogar”. “Não olhámos para a classificação como prova de qualidade, mas como uma questão meramente matemática”, frisou o técnico do Dínamo Sanjoanense, realçando que o Saavedra Guedes “é uma equipa jovem, com qualidade e muito rápida”, e que ao longo do encontro “criou muitas dificuldades” aos homens de S. João da Madeira.

Resultados da formação:

Juniores
Saavedra Guedes, 2 – D. Sanjoanense, 5
Iniciados
Sanjoanense, 6 – CCR Maceda, 1
Infantis
ACR vale Cambra, 3 – D. Sanjoanense, 4
Benjamins
ACD Gião, 1 – D. Sanjoanense, 11

Agenda:

Infantis
D. Sanjoanense-Lordelo
Dia 27, às 11h00, Pavilhão das Travessas
Benjamins
Sanjoanense-PARC
Dia 28, às 11h00, Pavilhão das Travessas
Traquinas
Sanjoanense- ACR Vale Cambra
Dia 28, às 15h00, Pavilhão das Travessas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...