No valor de cerca de 406 mil euros, é o maior Orçamento da Junta de Freguesia de S. João da Madeira (JFSJM) dos últimos anos, o que, como o labor  já noticiou em edição anterior, se deve, sobretudo, ao aumento do financiamento do Fundo de Financiamento das Freguesias.

O dito aumento permitiu a Rodolfo Andrade e à sua equipa, em funções há dois meses, serem “um bocadinho mais arrojados” na hora de desenhar tanto o Orçamento como o Plano de Atividades para 2022. Mantiveram projetos antigos que, na sua opinião, fazem todo o sentido, mas também procuraram “abordar novas áreas”. E isto mesmo com “constrangimentos” do ponto de vista financeiro e de recursos humanos e sempre respeitando o que foi feito no passado, como o próprio presidente fez questão de deixar claro na última sessão da Assembleia de Freguesia (AF) do ano e segunda do mandato.

Entre as novidades estão, por exemplo, a criação de um Fundo de Emergência Social, “que será utilizado para situações de necessidade comprovada”, causadas pela pandemia e não só; a oferta de 100 livros por ano, alguns da autoria de escritores sanjoanenses e que serão distribuídos por escalões etários; o reforço do apoio à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira com uma nova rubrica para aquisição de material para as ambulâncias.

Obrigado pelo seu interesse no trabalho dos nossos profissionais. Poderá ter acesso à versão integral deste artigo na edição impressa ou no formato digital. Assine o labor aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...