ADRAV, 1 (8) – Palhota, 1 (7)

ADRAV: Tiago Tavares, David, Miguel, Rúben (cap), Abel, Márcio, Costa, Xavier, Barraca (Pedro Pi, 65’), Pombas.

Suplentes:  Zé Grande, Ruben, Vítor, Marcelo Sales, Joca, Pedro Pi.

Treinador: Carlitos.

Com as duas equipas no segundo lugar da classificação – a ADRAV no Grupo A e o Palhota no Grupo B – esperava-se um jogo extremamente equilibrado e as duas formações não desiludiram. O nulo ao intervalo refletia isso mesmo, pese embora algum ascendente dos homens de Carlitos, mas sem grandes oportunidades de golo.

Na segunda parte a ADRAV entrou com outra dinâmica e criou três boas ocasiões para abrir o marcador, mas foi preciso esperar para os 60 minutos para os locais festejarem. Beto deu esperança aos homens da casa com um cabeceamento que só parou no fundo das redes.

O resultado não interessava aos visitantes e o técnico do Palhota não tardou a mexer na equipa. As mudanças surtiram efeito e o futebol mais objetivo e direto culminou no golo do empate, num lance em que a defesa da ADRAV não esteve isenta de culpa.

Com o empate a persistir até ao final do tempo regulamentar a passagem às meias-finais foi decidida na marca dos 11 metros. Nas grandes penalidades a ADRAV foi mais competente, fruto também da boa exibição de Tiago Tavares, que defendeu dois penalties.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...