Todos os partidos com assento na Assembleia Municipal (AM) aprovaram, nesta última sessão extraordinária de 31 de março, o Regulamento do Programa de Arrendamento para Subarrendamento de S. João da Madeira. Até o Bloco de Esquerda (BE) votou a favor, mesmo sendo de opinião que o dito programa “financia, claramente, a especulação” e depois de Eva Braga ter pedido a Jorge Sequeira e seus pares para não porem “o socialismo na gaveta” e fazerem mais no que toca às políticas de habitação.

“São necessários intervenientes com coragem para fazerem uma verdadeira revolução no mercado de habitação” neste que é um concelho inserido “numa das três regiões mais caras no que toca a rendas habitacionais”, exortou a deputada municipal do BE, tendo por base o “último relatório referente ao valor das rendas para habitação” do Instituto Nacional de Estatística.

O BE não se opôs à que chamou de “proposta de emergência para a disponibilização de habitações com rendas acessíveis”, mas também não viu (nem vê) nesta “uma resposta estrutural nem minimamente suficiente, quer em número, quer em qualidade”. Daí ter manifestado vontade para que na próxima reunião da AM se volte a pegar no assunto e se ter comprometido a trazer “outras medidas para debate”.

Jorge Sequeira acusa deputada do Bloco de ser injusta

Minutos depois, a intervenção da única bloquista pertencente à AM viria a ser repescada por Jorge Sequeira: “Se há afirmação injustíssima na sua alocação é dizer que pouco se tem feito em matéria de habitação”.

 

Obrigado pelo seu interesse no trabalho dos nossos profissionais. Poderá ter acesso à versão integral deste artigo na edição impressa ou no formato digital. Assine o labor aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...