Até domingo, 1 de maio, em S. João da Madeira vai ser possível ver dança nas fábricas, jardim municipal e equipamentos culturais, em mais uma edição do evento “A Cidade Dança”, promovido pela Câmara Municipal e com a curadoria de São Castro, bailarina e coreógrafa sanjoanense, e em parceria com a Play False – Associação Cultural, com o apoio institucional do programa Garantir Cultura / República Portuguesa – Ministério da Cultura. Esta será a segunda edição, depois de um interregno de dois anos devido à pandemia da covid-19.

Alusivo ao Dia Mundial da Dança que se celebra esta sexta-feira, 29 de abril, várias fábricas de S. João da Madeira, o Jardim Municipal, a Casa da Criatividade, a Torre da Oliva, o espaço envolvente ao Museu da Chapelaria e Museu do Calçado são palcos do evento, que conta com a participação de vários grupos locais.

Apresentações urbanas:

29 abril – sexta-feira – Jardim Municipal

18h00 – Armazém 4 

18h05 – Escola de Dança Ginasiano 

18h25 – Clube A4 

18h35 – CDN – Conservatório de Dança do Norte 

18h50 – Escola de Dança Turning Point 

19h05 – Escola Be Dance 

A Casa da Criatividade acolherá também na sexta-feira, mas pelas 21h30, LOWLANDS um espetáculo com coreografia de Helder Seabra e produção da Companhia Instável. Através de uma estética de dança e teatro de elevado nível físico e experimental, visita-se o mundo de sombra da existência, de histórias internas que se desdobram para além da linguagem e da palavra.

Para sábado, 30 de abril, entre as 10h00 e as 12h30 está agendado um Workshop com Julie Anne Stanzak, na Torre da Oliva.

Apresentações urbanas:

30 abril – sábado – Entre o Museu da Chapelaria e Museu do Calçado

16h30 – Academia de Bailado Liliana Leite 

16h45 – Grupo de Dança Movimentarte CCDR FDV 

16h50 – Centro Cultura e Desporto – Danças Latinas 

17h00 – Centro Cultura e Desporto – Hip Hop 

17h20 – Amigos das Danças – Danças Afro-Latinas 

Pelas 18h00, no auditório dos Paços da Cultura , exibição de filme / documentário sobre a obra de Pina Bausch, seguindo-se uma conversa com Julie Anne Stanzak, uma das bailarinas que acompanhou o trabalho desta coreógrafa durante mais de 30 anos. A conversa será moderada por Luiz Antunes.

Para o último dia do evento, no domingo, 1 de maio, entre as 11h00 e as 12h30, São Castro faz referência a uma iniciativa em que “os mais novos terão o devido destaque com um dia dedicado ao desafio de relacionar a Dança e a Matemática” e “um espetáculo onde a brincar se dança, a dançar se cresce e se sonha acordado”. Este momento acontecerá na Torre da Oliva.

A fechar o evento, pelas 17h00, na Casa da Criatividade, “A caminhada”, com coreografia de Bruno Alexandre e produção da Produção d’Fusão. “É um lugar de descoberta do mundo sem sairmos da nossa imaginação. Ficamos dentro dos nossos neurónios a fabricar aventuras, dentro do gesto radical que é a brincadeira, lugar por excelência da transgressão e da utopia. São danças de brincar para brincar ao crescer. Tudo se mistura quando começamos a brincar, suspendendo o tempo num lugar mágico. E a dançar, podemos misturar todos estes mundos? O que é uma dança puzzle? E uma dança telecomandada? Ou uma dança telepática? E o que é isto, de sair para explorar o mundo, sem sair do lugar? Que olhos levamos connosco? Ainda aqui estamos?”.

Para aceder ao programa deste ano e saber mais sobre o evento e cada uma das atividades, os interessados podem consultar o site da Casa da Criatividade (www.casadacriatividade.com).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...