Participou com uma sessão de poesia a convite do projeto Lugares de Encontro

 

Alice Neto de Sousa, a poeta e não poetisa como faz questão de ser chamada, de que todos falam no momento veio à cidade, no passado dia 18 de maio, para fechar com chave de ouro a Ação de Capacitação – Prevenção e Combate ao Racismo levada a cabo pela Associação de Jovens Ecos Urbanos.

Na Sala Terraço da Oliva Creative Factory, a autora do poema “Poeta” emitido no programa “Bem-Vindos” na RTP África, que se tornou viral, e do poema “Março” que fez parte da abertura solene das comemorações oficiais dos 50 anos do 25 de abril, declamou vários poemas, seus e de outros autores como José Luís Peixoto e Raquel Lima, naquele que foi o primeiro momento destinado aos técnicos de intervenção social do concelho e parceiros do projeto Lugares de Encontro. Seguiu-se o coletivo Kanal com um concerto de música meditativa.

Segundo Maria João Leite, da associação promotora, “foi por sentirmos que é preciso aprender mais sobre questões como a discriminação social, a discriminação de género, o racismo estrutural e a precariedade” que organizaram “um painel de luxo” para 40 participantes, na sua maioria técnicos de intervenção social e professores dos três agrupamentos de S. João da Madeira (SJM). E foi com todas as entidades parceiras do projeto – câmara municipal, em particular com a Divisão de Ação Social e Inclusão a Habitar S. João, Santa Casa da Misericórdia de SJM (Protocolo Rendimento Social de Inserção e Centro Comunitário Porta Aberta), Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e Irenne – Associação de Investigação, Prevenção e Combate à Violência e Exclusão – que contaram para a sua dinamização.

Esta iniciativa foi enriquecida, ainda, com a experiência política e o conhecimento do território de SJM através da intervenção da vereadora Paula Gaio. Também Maria Manuel Batista, professora catedrática da Universidade de Aveiro, partilhou com os presentes uma contextualização histórica e cultural do fenómeno do racismo estrutural. A problemática foi ainda mais aprofundada por Ana Cristina Pereira, conhecida por Kitty Furtado, que é uma das referências no combate antirracista e atualmente bolseira de pós-doutoramento do projeto Vozes em Rede, baseado no Centre for Research in Applied Communication, Culture, and New Technologies da Universidade Lusófona do Porto, como refere nota informativa remetida ao labor.

Lugares de Encontro

Lugares de Encontro foi pensado para mulheres em situação vulnerável, pela sobrecarga que a monoparentalidade traz ao associar-se à precariedade socioeconómica, e surge da aprovação de uma candidatura ao programa Cidadãos Ativ@s que é gerido pela Fundação Calouste Gulbenkian, em consórcio com a Fundação Bissaya Barreto, e financiado pelo EEA Grants.

Todas as semanas, a Ecos Urbanos encontra-se com estas mães para conversarem e terem todas a oportunidade de experimentar propostas multidisciplinares. “Tem sido criado um lugar confiança e de sororidade, lugares onde fomos ouvindo as diferentes mães participantes falarem também do seu dia a dia. Fomos percebendo que muitas são confrontadas quotidianamente com um racismo, disfarçado, estrutural, presente”, conforme chama a atenção a técnica de animação sociocultural da Ecos Urbanos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...